Shame (2011)

Olá pessoal, acho que agora vou escrever bastante sobre filmes já que eu me dispus a assistir um por dia (sim, é uma meta pessoal) e vou dar uma entrada polemica aqui com o filme Shame de 2011, do diretor Steve Mccquen.
Vamos lá, antes de fazer a resenha eu vou ser sincera, se você não gosta de cenas de nudez explicita e sexo, por favor pare de ler esse post aqui, porque esse filme não irá te agradar! Mas se você é como eu que tá de boa e acha que tudo é corpo humano, continue lendo.
Vou deixar a sinopse para vocês e abaixo a resenha:

"Brandon (Michael Fassbender) é um jovem de sucesso, com trinta e poucos anos, que vive confortavelmente no seu apartamento em Nova Iorque. Para se distrair da monotonia do dia-a-dia, ele seduz mulheres, embrenhando-se numa série de romances condenados e casos de uma só noite. No entanto, o ritmo de vida rigidamente controlado de Brandon entra em colapso quando Sissy (Carey Mulligan), a irmã rebelde e conturbada, aparece inesperadamente."


Shame foi um dos melhores filmes a abordar o tema sexo, sem nenhum glamour ou beleza, pois a ninfomania é uma doença e é impossível glamorizar esse transtorno, apesar de vários diretores fazerem isso o que eu acho totalmente desnecessário.
Para Brandon  fazer sexo é prazeroso ao mesmo tempo que é um martírio como toda compulsão, ela dá prazer na hora, seguida daquela aquela culpa infinita.
A irmã dele Sissy é uma das grandes sacadas da história, porque ela poderia ser pudica ou conservadora, mas a garota também é compulsiva só que em se auto-mutilar, por que é uma grande sacada? Porque foge dos clichés e porque desperta a curiosidade, como duas pessoas tão problemáticas vão dividir o mesmo teto? E por mais estranho que pareça eu achei a Sissy a irmã perfeita para o Brandon, porque ela não pode julgar como a maioria das pessoas faz com quem é ninfomânico.

Um dos pontos fortes do filme é a falta de diálogos, geralmente é algo que não funciona no cinema, mas dessa vez funcionou muito bem, porque mesmo sem palavras o filme transpassa exatamente o que os personagens sentem.
Mas nem tudo são flores, o filme tem seus pontos fracos e eu aponto um em especial, infelizmente faltou profundidade nos personagens, principalmente no da irmã do Brandon ela poderia ter sido muito mais explorada na minha opinião.
Trilha sonora, ok, fotografia boa, atuações ótimas, eu senti um pequeno boicote com o Fassbender no Oscar, porque ele merecia ter sido indicado, mas o que ocorreu ali foi que a academia foi meio que falsa moralista e não quis indicar alguém que aparece pelado nas telas do cinema.
O final do filme pode decepcionar os menos atentos, mas eu digo na cena final (pelo menos para mim) todas as perguntas do futuro de Brandon foram respondias.
Shame é um ótimo filme, Steve Mccquen vem se consolidando com poucos filmes no currículo, mas eu espero mais coisas boas dele, a única coisa é que é um filme que dificilmente vai agradar o grande publico porque o pessoal ainda é meio puritano, o que eu acho meio ruim pois boas obras do cinema ficam meio que de lado porque o povo não quer ver gente pelada (vai entender).
Não tem na Netflix, então vou deixar aquele torrent maroto que faz a alegria do pessoal.
É a primeira vez que eu posto de madrugada, mas eu ando perdendo o sono então eu acho que o blog vai ser um bom lugar para passar a noite.
Abraço, obrigada por acompanharem e até a próxima.

Onde assistir?

Postagens Relacionadas

0 comentários

Seu comentário é muito bem vindo, desde de que:
-Não seja ofensivo
-Respeite a opinião alheia
-Não seja preconceituoso

Comentários que não se enquadram nesse perfil, serão excluídos.