Engenheiros do Hawaii - Longe demais das capitais.

Então cá estou eu depois de tanto tempo por infinitos motivos cujo quais não irei falar, mas fica corroborado que eu estava sem tempo.
O rock nacional sempre foi um enorme desafeto para mim, não que eu o ache ruim, ou chato, é que realmente eu nunca escutei muito e as poucas bandas mais mainstream que ouvi, não me encantaram. Mas toda regra tem sua exceção e os Engenheiros são ela, apesar de por muito tempo ter torcido o nariz para a banda, quando resolvi escutar acabei gostando tanto que a elegi como minha banda nacional favorita, coisas da vida.
Comprei esse CD sabendo ele de cor e salteado, pois o tinha ouvido inteiro no Napster, o bom disso é que as chances da pessoa que compra se decepcionar são praticamente nulas, digo praticamente pois vai que o CD venha arranhado ou com a parte que segura quebrada? Mas comprei novo, então isso também era impossível.
Vou falar brevemente sobre cada uma das faixas e no final do CD como um todo:



Toda forma de poder- Essa música como a maioria das faixas desse disco, tem uma letra com uma mensagem politica, e a mensagem central dessa faixa seria na minha opinião que toda forma de governo totalitário é ruim e não serve de nada. Na estrofe que diz "Fidel e Pinochet tiram sarro de você que não faz nada" isso fica bem claro, afinal Fidel era um comunista extremo e Pinochet militarista também extremista, dois lados opostos, com uma coisa em comum o governo ditador. Sabe, nem entrando no mérito da questão esquerda e direita, eu vou dizer que concordo pra caramba com essa musica, não apoio nenhuma forma de governo extremista, mas o que eu sinto falta mesmo é do rock que falava essas verdades, que expunha os podres do mundo e tal, hoje em dia tá tudo tão mamão com açúcar, que me dá sono.

Segurança- Uma das faixas do CD que não fala de politica, mas fala sobre relacionamentos, e a verdade sobre todos os relacionamentos é exposta nessa faixa, que é o seguinte: todo mundo um dia vai querer alguém para ter uma estabilidade e segurança, todo mundo precisa disso, pode não ser agora, mas em uma fase da vida com certeza.

Eu ligo pra você: Essa musica deve expressar uma fase pessoal da vida do Humberto Gessinger, nunca pesquisei a fundo, mas é o que parece. Acho ela ótima para escutar num fim de relacionamento, naquela fase que você fica lembrando da pessoa e tal.

Nossas vidas: Como o próprio título já fala, essa musica fala da vida em si e em como em certas fases ela pode ser vazia e irritante, e eu vou além, não é o que a gente fez com ela e sim o que os outros fizeram, como diz o refrão: "não posso entender o que fizeram com nossas vidas" e é a mais pura verdade, as pessoas tem mais controle sobre a nossa vida, do que nós mesmos e a gente fica boiando nisso (falo por experiencia própria).

Fé nenhuma: De todas as faixas desse CD, nenhuma expressa mais o que eu penso sobre a situação atual da nação, e sobre o que vai acontecer no futuro do nosso país. A parte que diz " e eu não acredito no futuro do Brasil" é uma frase que eu digo praticamente todo o dia. E mais: "eu não vou morrer de fome, eu não vou morrer de tédio, eu não vou morrer pensando em qual seria o remédio" deixa bem claro que a gente tem lutar por si só, pela nossa vida e não achar que politico A ou B vai resolver a nossa vida, por que não vai, ninguém vai fazer nada por nós mesmos a não ser a gente mesmo.

Beijos para torcida: Falando de guerra, essa música, fala sobre tudo o que acontece no mundo, todas as desgraças que as autoridades fazem como se fosse algo bom e bonito, o que faz muito sentido, ninguem que joga uma bomba num país, diz que tá fazendo algo errado e sim que está lutando por uma ideologia e matando alguns para salvar milhares! Apesar de ser o pensamento mais boçal que alguem pode ter, esse tipo de visão é aplaudido por muitos, infelizmente.

Todo mundo é uma ilha: Essa musica, define bem os jovens depressivos da nossa geração, solitários, confusos e que levam a vida como se isso fosse normal, acontece que a maioria das pessoas estão assim e nem notam, males da geração moderna.

Longe demais das capitais: A musica que dá o título a todo o CD, é polemica demais se tu entende o que ela quer dizer. Vou trazer a tona o que realmente a letra dessa música quer dizer. Longe demais das capitais, foi escrita nos anos 80, onde tudo estava sendo descoberto no Brasil, novas fases da politica, a possibilidade de uma nova guerra e até mesmo os travestis. Acontece que algumas pessoas, não estavam de acordo com tudo isso, o velho mundo seria de maneira literal aquela visão de mundo eurocentrista, onde tudo é mais simples de entender. Claro que é uma música e por amor de Deus, ninguém que tem um a visão diferente das coisas se ofenda por ela.

Sweet Begonia: Outra faixa que fala de relacionamentos amorosos e nesse caso fala de uma situação muito comum: um cara que gosta de uma garota, mas ela não tá afim de ficar com ele. Quem nunca passou por isso na vida? Até mesmo a situação inversa? Normal, porém triste.

Nada a ver: Acho que o caso dessa musica, é que parte dela é poética outra parte conta um caso real da vida do compositor.

Crônica: O refrão dessa música, é uma citação do livro Segundo diário Minimo. do escritor Humberto Eco, conhecido pelo best-seller O Nome da Rosa (lembrou?).
A música seria uma cronica do que é a sociedade moderna em que vivemos, e que a gente não nota e se nota nem se importa.

Sopa de Letrinhas: A única musica do disco que não é composta pelo Humberto Gessinger e sim pelo Marcelo Pitz, baixista da banda na época. Com uma letra que fala de um namoro, mas de forma nada convencional, talvez seja a faixa que leva a melhor melodia do disco, gosto pra caramba dessa musica.

Com algumas letras polemicas, mas muito boas e inteligentes, os engenheiros fizeram um baita álbum, impressionante que um disco tão bom seja de estreia, É o meu favorito deles, junto com A revolta dos Dândis. Como eu disse numa das analises das musicas, é uma pena que o rock tenha perdido essa essência de falar verdades nas suas letras, infelizmente hoje em dia são poucas as bandas que tem a coragem de expor suas opiniões como antigamente, vamos torcer para que isso mude.
O som também é ótimo, com a bateria bem marcada, riff's e backing vocals, tudo bem tipico dos anos 80.

Postagens Relacionadas

2 comentários

  1. Muito bacana! Voltei a minha adolescência. Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom fofa! É sempre bom voltar aos bons tempos de nossas vidas. Beijos.

      Excluir

Seu comentário é muito bem vindo, desde de que:
-Não seja ofensivo
-Respeite a opinião alheia
-Não seja preconceituoso

Comentários que não se enquadram nesse perfil, serão excluídos.